quinta-feira, 3 de outubro de 2013





O FUTURO NÃO EXISTE

O futuro torna-se constantemente uma preocupação para tantas pessoas, porque sendo desconhecido, pode ser assustador para quem lida mal com incertezas.
Pois eu tenho uma boa notícia: esqueçam essa preocupação. Se uma certeza existe é a de que o futuro não existe. Ele foi inventado apenas para nos fazer perder tempo à procura das respostas que ainda estão para vir e que ninguém sabe quais são.

Eu tenho para mim, que foram as mais altas instâncias religiosas, governamentais, empresariais e outras que tais, espalhadas por todo mundo, que congeminaram no sentido de nos enfiarem com essa balela do futuro na cabeça, só para nos manterem ocupados com o tema, enquanto eles nos manipulam no presente e empurram para tempos futuros, a resolução de todos os assuntos importantes que, das duas uma: ou já deviam ter sido resolvidas no passado, ou, no mínimo, podiam começar a ser tratados no presente.

Fico impressionado com o tempo que se perde em análises ao futuro. Mas por que raio é que não se começa a ter mais o hábito de analisar o que se fez ontem para aplicar as conclusões da análise hoje?

É preciso estar atento aos manipuladores mais habilidosos que, quando querem prometer alguma coisa, utilizam frases do tipo "O futuro que há de vir... Irei pôr em prática... Irei fazer... Irei defender... Irei..." Chega. Irados já nós estamos. Estão a fazer de nós parvos? É evidente que, se é futuro, é algo que há de vir e por isso, só poderá vir a existir eventualmente num presente longínquo (nova definição de futuro), o que significa que se estão a referir a miragens. 

E quando os mesmos manipuladores, ou derivados, nos dizem "Nós acreditamos no futuro", a nossa resposta deve ser "Então acreditem vocês e deixem-nos em paz, pelo menos HOJE. Querem brincar, comprem uma caixinha de Legos e divirtam-se. À  nossa custa é que não. Temos um presente para construir e o tempo faz-nos falta". 

Como já tenho alguns anos de vida terrena e apesar de, tal como Sócrates (o filósofo), apenas saber que nada sei, atrevo-me a deixar alguns alertas, principalmente aos mais novos, em três simples pontos:

Ponto 1 - O futuro é apenas nada. Não acreditem no futuro. Desconfiem de quem faz promessas de um futuro cor de rosa. Desconfiem ainda mais de quem diz que o futuro será negro. Ninguém lhe conhece a cor, por um motivo muito simples: ainda não foi pintado. Os pintores somos todos e cada um de nós tenta combinar a cor que quer, com aquelas que nos rodeiam. É apenas isso. Complicar não compensa.

Ponto 2 - Não se deixem embrulhar nessa fraude a que chamam futuro, porque correm o risco de abrandar o ritmo dos sonhos quando acham que o futuro vai ser bom, ou paralisar com medo de que ele seja mau. E o pior é que, quando isso acontece, é sempre hoje e torna-se num momento de presente perdido.

Ponto 3 - Agarrem o hoje, como se não houvesse amanhã (esta era escusada, enfim...)
Se fizerem hoje o que a vossa vontade e consciência determinarem, no fim do dia é mais provável que sintam mais confiança no presente. Tudo depende do hoje e só a satisfação do hoje é que provoca orgulho do ontem. O futuro não está nas vossas mãos, mas o presente está. Não confundam futuro com projetos. Os projetos constroem-se no hoje de todos os dias e o futuro é o maior ponto de interrogação de todas as vidas.

Por enquanto é tudo. Quando lerem este texto, não pensem estão a lê-lo no futuro de quem escreveu. Acontece é que o texto foi escrito no passado de quem está ler, pelo que estão a lê-lo no vosso presente. Sim, porque não sei se já referi, mas o futuro não existe.

C.Cruz.   


Nenhum comentário:

Postar um comentário